Cuidados no inverno: saiba como proteger sua saúde durante a estação

23/06/2022 Saúde | Vacinas Saúde Livre Vacinas

Junho traz a chegada do frio no hemisfério sul, apesar de muitos lugares já estarem sentindo a temperatura baixar. É nessa época que os vírus e bactérias passeiam mais livremente. Por isso, a saúde exige que sejam tomados mais cuidados no inverno.

“Quando a gente se expõe ao ar frio, muitas vezes a nossa mucosa fica seca, fica mais machucada e fica mais propensa à infecção”, explica a infectologista e gerente médica de vacinas da GSK, Lessandra Michelin, à EBC. Além disso, as pessoas costumam passar mais tempo juntas em locais fechados, facilitando a transmissão de doenças.

Ela defende também a prática de hábitos saudáveis nos cuidados no inverno. “Estar bem agasalhado, bem hidratado e bem alimentado nessa época de frio também ajuda a prevenir infecção”, recomenda.

Cuidados no inverno: vacinas previnem doenças respiratórias

Mesmo usando máscara e tendo atenção à higiene, as vacinas são a melhor maneira de prevenir doenças trasmitidas por vias respiratórias. Conheça quais você deve tomar para se proteger:

Influenza

A vacina contra o vírus influenza, que causa a gripe, pode ser encontrada em dois tipos: o trivalente, que protege contra duas cepas do tipo A e um dos tipos de influenza B; e o quadrivalente, que defende contra mais um tipo de influenza B, além dos anteriores.

A mais completa está disponível em clínicas particulares, enquanto a trivalente pode ser encontrada no Sistema Único de Saúde (SUS). A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda a imunização a partir dos 6 meses de vida.

Idosos, professores e gestantes, por exemplo, são os que mais precisam garantir a dose, mas todos podem se beneficiar do cuidado. “Vacina não é só para criança, é um programa de família. Todo mundo pode ser protegido, a criança, o bebê, o adolescente, adultos, idosos, gestantes”, diz Lessandra Michelin.

É importante tomar o reforço todos os anos, uma vez que as cepas sofrem mutações a todo momento. Dessa forma, a medicação está sempre atualizada.

Além do incômodo causado pelos principais sintomas, como febre, dores no corpo, cabeça e garganta, tosse e congestão nasal, a doença pode causar outros problemas. Dessa forma, o vírus pode piorar problemas crônicos, como asma e insuficiência cardíaca. Além disso, o aumento de AVCs e infartos está associado à infecção.

Covid-19

O coronavírus segue sendo uma das principais preocupações em relação à saúde. A prevenção deve fazer parte dos cuidados no inverno, uma vez que essa estação pode facilitar o contágio.

A vacina está disponível em postos do SUS e, desde maio de 2022, também nas clínicas privadas. O Ministério da Saúde recomenda tomar primeiro a vacina contra o Covid-19, e receber a dose contra gripe 14 dias depois.

O covid-19 tem sintomas como febre, dores no corpo, cabeça e garganta, cansaço, diarreia, e até dificuldade para respirar. Em casos mais graves, o vírus pode causar insuficiência respiratória, tromboembolismo e falência de órgãos, levando até à morte.

Meningite e pneumonia

O Programa Nacional de Imunizações recomenda a vacina Pneumocócica 10 valente, que previne contra 70% das doenças graves, como pneumonia, meningite e otite.

Há ainda a pneumocócica conjugada 13-valente previne contra 13 sorotipos de pneumococos, cobrindo 90% das doenças graves. Para maior proteção, é possível tomar também a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente.

A meningite é uma inflamação das membranas que cobrem o cérebro e a medula espinhal, causando febres, dor de cabeça forte, náuseas e rigidez no pescoço. Ela pode deixar sequelas permanentes e causar a morte.

Por outro lado, a pneumonia é uma infecção no pulmão que causa febre alta, dor no tórax, falta de ar, alteração na pressão e outros sintomas. Bactérias, vírus, fungos, inalação de produtos químicos e aspiração de líquido ou alimento podem causar a doença.

A coqueluche também é uma bactéria transmitida pela respiração. A vacina dTpa, que age contra ela, cobre também o tétano e a difteria. Em primeiro lugar, a doença tem sintomas gripais, como febre e catarro. Em seguida, ela evolui para tosses intensas e vômitos.

Portanto, para tomar cuidados no inverno, procure a unidade da Saúde Livre mais próxima de você e garanta sua proteção e de sua família.

Posts relacionados

É ‘só’ uma gripe? Conheça os verdadeiros riscos da influenza

A influenza atinge cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo todos os anos, com 5 milhões de casos graves e até 650 mil […]

Saúde Livre Vacinas, 23 de maio de 2024
Vítimas e socorristas do Rio Grande do Sul recebem orientações.

Rio Grande do Sul: as vacinas recomendadas para vítimas e socorristas

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Sociedade Gaúcha de Infectologia (SGI) divulgaram nesta semana uma nota […]

Saúde Livre Vacinas, 17 de maio de 2024

Chuvas: como cuidar da saúde em situações de emergência?

Fortes chuvas têm afetado o Rio Grande do Sul nas últimas semanas, provocando enxurradas, enchentes, inundações, deslizamentos e desmoronamentos. Segundo a Defesa Civil do […]

Saúde Livre Vacinas, 09 de maio de 2024