Febre Tifoide: Saiba mais sobre a doença e como ela pode ser prevenida através da vacinação.

01/11/2021 Saúde | Vacinas Saúde Livre Vacinas

A febre tifoide é uma doença que ocorre em todo o mundo, e está diretamente associada aos baixos níveis socioeconômicos, situação precária de saneamento básico, higiene pessoal e ambiental. Em países desenvolvidos, onde esses problemas conseguiram ser superados, a febre tifoide está praticamente extinta.

No Brasil, onde ainda enfrentamentos sérios problemas de precariedade no saneamento básico, a febre tifoide ocorre de forma endêmica, com algumas epidemias nos locais em que as condições sanitárias são mais precárias.

A vacina contra a febre tifoide está disponível nos serviços privados de vacinação e, também, em centros de atendimento ao viajante. Ela confere proteção por 3 anos, e após esse período, caso ainda haja risco, é indicada a aplicação de nova dose. 

Transmissão:

A transmissão da febre tifoide se dá através da ingestão de água ou de alimentos contaminados com fezes humanas ou com urina que contenham a Salmonella entérica sorotipo Typhi, agente causador da febre tifóide. 

Além da ingestão de água, a febre tifoide também pode ser transmitida pelo contato direto (mão-boca) com fezes, urina, secreção respiratória, vômito ou pus de indivíduo infectado com a doença. O portador elimina a bactéria nas fezes e na urina, independentemente de apresentar os sintomas da doença ou não. O tempo de eliminação das bactérias que transmitem a febre tifoide pode ser de até três meses, e portadores crônicos podem transmiti-la por até um ano.

Sintomas:

Os principais sintomas são febre alta, dores de cabeça, mal-estar geral, falta de apetite, retardamento do ritmo cardíaco, aumento do volume do baço, manchas rosadas no tronco, prisão de ventre ou diarreia e tosse seca.

Prevenção:

Como principais medidas de prevenção da febre tifoide podemos citar o  saneamento básico, o preparo adequado dos alimentos, higiene pessoal e a VACINA. 

A vacina da febre tifoide é inativada, portanto, não tem como causar a doença. Ela é indicada para crianças a partir de 2 anos de idade, além de  adolescentes e adultos que viajam para áreas de alta incidência da doença como Chile, China, África, Paraguai, Argentina e Índia.

O Brasil dispõe da vacina para febre tifoide, mas ela não é recomendada de rotina. Sua indicação deve ser considerada para viajantes que se dirigem às áreas de risco como os citados acima, e lá permanecerão por tempo prolongado. Vale ressaltar que profissionais que lidam com águas contaminadas e dejetos também devem se vacinar contra a febre tifoide.

A vacina contra a febre tifoide confere proteção por três anos, de modo que a revacinação pode ser recomendada após este período, se o risco de adoecimento persistir ou retornar.

Para mais informações visite o site da Sbim (Sociedade brasileira de imunização), e para saber se o local para onde você irá viajar exige a vacina, consulte a aba viagens do nosso site clicando aqui

Posts relacionados

É ‘só’ uma gripe? Conheça os verdadeiros riscos da influenza

A influenza atinge cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo todos os anos, com 5 milhões de casos graves e até 650 mil […]

Saúde Livre Vacinas, 23 de maio de 2024
Vítimas e socorristas do Rio Grande do Sul recebem orientações.

Rio Grande do Sul: as vacinas recomendadas para vítimas e socorristas

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Sociedade Gaúcha de Infectologia (SGI) divulgaram nesta semana uma nota […]

Saúde Livre Vacinas, 17 de maio de 2024

Chuvas: como cuidar da saúde em situações de emergência?

Fortes chuvas têm afetado o Rio Grande do Sul nas últimas semanas, provocando enxurradas, enchentes, inundações, deslizamentos e desmoronamentos. Segundo a Defesa Civil do […]

Saúde Livre Vacinas, 09 de maio de 2024