Vacina contra dengue do Butantan deve estar disponível em 2025

20/02/2024 Notícias | Saúde | Vacinas Saúde Livre Vacinas

A vacina contra dengue do Instituto Butantan deve estar disponível para os brasileiros em 2025. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que adotará o procedimento de submissão contínua para o imunizante. Dessa forma, o encaminhamento dos dados e documentos para análise acontece conforme ficam disponíveis em cada etapa, acelerando o processo de avaliação.

De acordo com o centro de pesquisa, o dossiê técnico completo deve ser submetido até julho deste ano. A pesquisa teve início em 2009, e em junho, chega ao fim a terceira fase de ensaios clínicos, com o acompanhamento dos voluntários que receberam a vacina.

Mais de 16 mil pessoas de todas as regiões do Brasil participaram do estudo. Destas, 10.259 receberam o imunizante e 5.976 receberam um placebo, seguindo o padrão randomizado e duplo cego. O monitoramento aconteceu por cinco anos.

Somente em 2024, os casos de dengue no país já chegaram a 653.656, conforme a atualização do Ministério da Saúde. Até o momento, confirmaram-se 113 mortes em decorrência da doença, e 438 óbitos estão em investigação.

Eficácia

Nas últimas semanas, a eficácia da vacina contra dengue do Butantan foi confirmada pela comunidade científica internacional em um artigo publicado na prestigiada revista New England Journal of Medicine (NEJM). Os pesquisadores concluíram que a Butantan-DV, como ela é chamada, apresentou eficácia geral de 79,6% na prevenção da doença. Para fins de comparação, a Qdenga, do laboratório Takeda, atingiu 80,2%.

Segundo a publicação, houve 89,2% de eficácia em pessoas que já haviam contraído a doença antes do estudo, e 73,6% de eficácia para quem nunca havia tido contato com o vírus da dengue. Além disso, a vacina teve 90% de êxito na faixa etária de 18 a 59 anos; 80,1% para a faixa etária de 2 a 6 anos; e 77,8% entre participantes de 7 a 17 anos.

Assim como a Qdenga, a Butantan-DV possui o vírus da dengue atenuado, mas conta com os quatro sorotipos – DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. Também ao contrário da vacina da Takeda, que exige duas doses, será necessário apenas uma para atingir o efeito.

O imunizante é uma parceria do centro de pesquisa brasileiro com o Instituto Nacional de Saúde Americano (NIH) e a farmacêutica MSD.

Dengue

A dengue tem diagnóstico clínico, ou seja, feito a partir da análise dos sintomas apresentados. É possível, porém, fazer exames laboratoriais para detectar antígenos no sangue e acompanhar a quantidade de plaquetas.

Não há um tratamento específico para a dengue. Na maioria dos casos, a recomendação é apenas repouso, hidratação (se necessário, com soro caseiro) e uso de medicamentos como dipirona ou paracetamol para controle da febre.

Não se deve usar anti-inflamatórios ou remédios com ácido acetilsalicílico. Se houver dor intensa, sangramento ou dificuldade de ingerir líquidos, é preciso procurar o serviço de emergência.

Muitas receitas que circulam nas redes sociais para a cura da dengue são falsas. Não há qualquer indicação de uso de ivermectina, e suco de limão e caldo de cana não são capazes de eliminar o vírus.

Posts relacionados

Coqueluche: aumento de casos alerta para importância da vacina

A coqueluche é uma doença infecciosa que pode ser grave e potencialmente fatal em crianças com menos de um ano de idade. O número […]

Saúde Livre Vacinas, 17 de abril de 2024

Gripe, covid-19 ou VSR? Saiba quais são as diferenças

O Brasil registrou um aumento no número de casos de vírus sincicial respiratório (VSR) e de gripe nas últimas semanas. Eles corresponderam, respectivamente, a […]

Saúde Livre Vacinas, 11 de abril de 2024

Vacina contra câncer: conheça os imunizantes que previnem a doença

O desenvolvimento de uma vacina contra câncer é um objetivo antigo da medicina. Enquanto ainda não é possível evitar todos os tipos da doença […]

Saúde Livre Vacinas, 08 de abril de 2024