Entenda a diferença entre a vacina Penta disponível na rede pública e a disponível na rede particular

24/01/2022 Saúde | Vacinas Saúde Livre Vacinas

É comum haver algumas diferenças entre as vacinas da rede pública e da rede privada, dentre elas, uma das que mais gera dúvida nos pais é a vacina pentavalente, que já é dada logo nos primeiros meses de vida, e possui mais de uma diferença a da rede privada para a da rede pública. 

Na rede particular

A vacina pentavalente confere proteção contra 5 doenças, sendo elas: 

  • difteria; 
  • tétano;
  • coqueluche;
  • Haemophilus influenzae tipo b; 
  • poliomielite (VIP).

A vacina fornecida pela rede privada não contém células inteiras de Bordetella pertussis, o que a torna muito menos reatogênica que a vacina fornecida nos serviços públicos, ou seja, a chance de ter algum tipo de ração após a vacinação é bem menor na rede particular que na rede pública.

Na rede pública 

A pentavalente também protege contra 5 doenças, sendo elas:

  • difteria; 
  • tétano; 
  • coqueluche (pertussis); 
  • Haemophilus influenzae tipo b; 
  • hepatite B. 

A vacina fornecida pelo SUS utiliza células inteiras da Bordetella pertussis.

Vacina penta de células inteiras – DTPw-HB/Hib 

Fornecida pelo Sistema Único de Saúde.  

É uma vacina inativada, portanto não tem poder de causar a doença. 

A indicação é para crianças até 7 anos de idade.

É utilizada nas Unidades Básicas de Saúde para a vacinação no primeiro ano de vida, aos 2, 4 e 6 meses. 

Mesmo as crianças que já tiveram tétano, difteria, doença causada pelo Hib e/ou coqueluche, devem ser imunizadas, uma vez que estas doenças não conferem proteção permanente contra novas infecções.

Vacina Penta acelular – DTPa-VIP/Hib

Fornecida pelas clínicas da rede privada. 

É uma vacina inativada, portanto não tem como causar a doença. 

A indicação é para crianças a partir de 2 meses de idade e podem ser aplicadas até os 7 anos. Para a vacinação rotineira de crianças (aos 2, 4, 6 meses e entre 12 e 18 meses), preferir o uso da vacina quíntupla (penta) ou sêxtupla (hexa). 

Eventos adversos 

Conforme consta na Sbim, os eventos adversos e a frequência com que ocorrem são semelhantes nas duas vacinas e devem-se principalmente ao componente pertussis. Estudo comparativo mostrou que as reações a estas vacinas foram significativamente menores quando comparadas com a vacina combinada contra pertussis de células inteiras (DTPw).

A rede de clínicas de vacinação Saúde Livre segue o calendário vacinal e as orientações da Sociedade Brasileira de Imunização. 

A página da Sbim Família www.familia.sbim.org.br, tem um material bem didático e simples para pais que tenham maiores dúvidas.

Posts relacionados

É ‘só’ uma gripe? Conheça os verdadeiros riscos da influenza

A influenza atinge cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo todos os anos, com 5 milhões de casos graves e até 650 mil […]

Saúde Livre Vacinas, 23 de maio de 2024
Vítimas e socorristas do Rio Grande do Sul recebem orientações.

Rio Grande do Sul: as vacinas recomendadas para vítimas e socorristas

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Sociedade Gaúcha de Infectologia (SGI) divulgaram nesta semana uma nota […]

Saúde Livre Vacinas, 17 de maio de 2024

Chuvas: como cuidar da saúde em situações de emergência?

Fortes chuvas têm afetado o Rio Grande do Sul nas últimas semanas, provocando enxurradas, enchentes, inundações, deslizamentos e desmoronamentos. Segundo a Defesa Civil do […]

Saúde Livre Vacinas, 09 de maio de 2024